Acompanhe-nos também

sábado, 30 de junho de 2012

Criolipólise : nova arma contra a gordura localizada


A criolipólise utiliza o congelamento para combater as células de gordura. O grande benefício do método é o fato de não requerer cortes, agulhas ou anestesia. Outros procedimentos para gordura localizada apenas diminuem a célula de gordura, sem destruir o adipócito. O tratamento alcança as gordurinhas mais difíceis de serem eliminadas (até mesmo com lipoaspiração). Abdome, flancos (pneuzinhos), parte interna das coxas e goordura das costas podem ser tratadas. Além disso, não há o risco de aumento de gordura na circulação sanguínea, como acontece com métodos como a ultracavitação, o que torna o procedimento mais seguro.

A criolipólise é feita através de um aparelho que literalmente mata as células de gordura de frio. O tratamento elimina a gordura localizada logo abaixo da pele. O aparelho, que tem uma ponteira acoplada à pele, faz a sucção dos tecidos e induz a um resfriamento controlado da gordura.

Estudos da Escola de Medicina de Harvard (EUA) deram origem à técnica, testada em 1.200 pessoas nos Estados Unidos e na Europa com um desfecho promissor: a média de perda de circunferência foi de quatro centímetros por sessão. No Brasil, a Anvisa liberou a realização do procedimento.

O equipamento ataca somente as células de gordura da região selecionada, sugando a gordura e resfriando a região a -10º C durante uma hora, sem causar danos à pele, protegida por uma película de gel durante a sessão. A baixa temperatura provoca a desagregação de gordura e danifica as células, eliminadas pelo organismo ao longo de, em média, dois a três meses. No início, o paciente sente um frio intenso, mas suportável, na região aplicada. Logo após, a sensação é de formigamento na região. Essas sensações são suportáveis e passageiras e o paciente não sente dor durante, nem depois do tratamento. As células congeladas durante o procedimento são puxadas pelo aparelho através de vácuo e são interpretadas pelo organismo como células estranhas, sendo liberadas lentamente pelo sistema linfático e metabolizadas no fígado, sem comprometer seu funcionamento.

O procedimento dura em torno de uma hora. A recuperação é imediata, restando uma vermelhidão no local tratado e um inchaço que pode durar até duas semanas. Resultados podem ser percebidos em até dois meses após a primeira aplicação. Em cada sessão perde-se cerca de 20% a 30% da gordura da região aplicada. O número de sessões varia de acordo com a espessura de gordura de cada uma e do resultado esperado pelo paciente, com média  de duas a três sessões por região. Os resultados são permanentes. desde que o paciente tome cuidados para não voltar a engordar.  

A criolipólise não é recomendada para pessoas obesas, pois o procedimento só é indicado para retirar gorduras localizadas. Pacientes com diabetes, hérnia no local a ser tratado, urticária ao frio, crioglobulinemia (doença relacionada ao frio) e gestantes não podem realizar o tratamento. Tampouco menores de 18 anos.


O intervalo entre as sessões é de seis a oito semanas, se for necessária mais de uma aplicação. Os efeitos colaterais são vermelhidão, inchaço, pontos arroxeados e dormência da pele são comuns após o tratamento e são transitórios.


O tratamento já está disponível na Clínica Eme.
Agende sua avaliação gratuita pelo telefone (31) 2514.1860




2 comentários:

  1. o TRATAMENTO PARECE SER MUITO INTERESSANTE. MAS DEVE SER MUITO CARO, NE!

    ResponderExcluir
  2. Nossa, realmente fiquei muito curioso com o tratamento! Gostaria de saber o valor e quantas consultas serão necessárias. Estou parecendo uma capivara de tão gorda. Beijos

    ResponderExcluir